Para utilizar esta página é necessário ter o JavaScript ativado. Curriculum Vitae: dicas sobre a redação - RioVagas

Curriculum Vitae: dicas sobre a redação

Já falamos sobre os objetivos do currículo,  vimos um modelo e discutimos como encaminhá-lo ao recrutador, na candidatura à uma vaga.

Porém, gostaríamos de falar um pouco mais sobre a linguagem a ser utilizada na redação do currículo e nas correspondências com os recrutadores.

Leia o anúncio da Coca-Cola abaixo:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O que você achou da linguagem? Adequada? Só se for para a década de 40, para a qual ele foi escrito… Naquela época se falava assim.

Os meios de comunicação e a linguagem evoluem e isso deve estar retratado no seu currículo.

Pode ser que na década de 60 fosse adequado usar sua máquina de escrever Ollivetti para escrever: “Vimos por meio desta encaminhar meu curriculum vitae, visando uma oportunidade de demonstrar meu talento nessa tão renomada empresa…” .

Hoje isso está completamente fora de moda. Uma carta com essa redação caberia bem em um quadro, adornando a coleção de algum museu que mostrasse como se procurava emprego antigamente.

Tentar parecer culto através de uma escrita difícil e rebuscada transmite a imagem de que o candidato copiou aquilo de alguma lugar e de que é uma pessoa pouco informada. A forma de redigir diz muito sobre a personalidade da pessoa e essa é uma oportunidade de se diferenciar dos demais candidatos, escrevendo diretamente, sendo objetivo e mostrando que você sabe se comunicar.

Por isso,  apresentaremos abaixo algumas dicas que você pode empregar na redação do seu currículo.

São apenas sugestões e cabe a você avaliar se as acha adequadas para o seu estilo de redação.

O importante é que seu currículo seja: direto, objetivo e retrate adequadamente seu perfil profissional.

Vamos la!

Escrever bem é saber expressar ideias de forma clara, rápida e persuasiva.

1. Tenha sempre em mente que o tempo do leitor é limitado.

O que você escrever deve ser entendido na primeira leitura. Se você quer que seu trabalho seja lido e analisado por seus superiores, seja breve. Quanto menor o texto, maior a chance de ser lido por eles.

2. Saiba onde você quer chegar.

Antes de redigir, faça um esboço, listando e organizando suas ideias e argumentos. Ele lhe ajudará a não se desviar da questão central. Comece parágrafos importantes com sentenças-chave, que indiquem o que virá em seguida. Conclua com parágrafo resumido.

3. Torne a leitura fácil e agradável.

Os parágrafos e sentenças curtos são mais fáceis de ler do que os longos. Mande telegramas, não romances. Para enfatizar, sublinhe sentenças e enumere os pontos principais (como fizemos com essas “dicas”).

4. Seja direto.

Sempre que possível, use a voz ativa.

Voz Passiva – “Estamos preocupados com que nosso projeto não seja aprovado, o que poderia afetar negativamente nossa fatia de mercado”.

Voz Ativa – “Acreditamos que esse projeto é necessário para manter nossa fatia de mercado”.

5. Evite “clichês”.

Use suas próprias palavras.

Clichê – Por  último, mas não menos importante…

Direto – Por último…

6. Evite o uso de advérbios vagos.

E não esclarecedores, como “muito”, “pouco”, “razoavelmente”.

Vago – O projeto está um pouco atrasado.

Direto – O projeto está uma semana atrasado.

7. Use uma linguagem simples e direta.

Evite o jargão técnico e prefira as palavras conhecidas. Não esnobe o seu português.

Jargão – Input, Output.

Português comum – Fatos/informações, resultados.

8. Ache a palavra certa.

Use palavras de que você conheça exatamente o significado. Aprenda a consultar o dicionário para evitar confusões. Palavras mal-empregadas são detectadas por um bom leitor e depõem contra você.

9. Não cometa erros de ortografia

Em caso de dúvida, consulte o dicionário ou peça a alguém para revisar seu trabalho. Uma redação incorreta pode indicar negligência de sua parte e impressionar mal o leitor.

10. Não exagere na elaboração da mensagem.

Escreva somente o necessário, procurando condensar a informação. Seja sucinto sem excluir nenhum ponto-chave.

11. Ataque o problema.

Diga o que você pensa sem rodeios. Escreva com simplicidade, naturalidade e confiança.

12. Evite palavras desnecessárias.

Escreva o essencial. Revise e simplifique. Ao terminar, revise simplifique novamente.

Exemplo: Fazer um debate  /  Debater

Estudar em profundidade  /  Estudar

No caso de  /  Se

Com o propósito de  /  Para

13. Evite abreviações, siglas e símbolos.

O leitor pode não conhecê-los.  (Vemos vários exemplos utilizados em currículos. Um muito comum é TST. É técnico de segurança do trabalho ou Tribunal Superior do Trabalho?  É claro que nesse caso é técnico, mas essa sigla para o cargo não existe… Se o recrutador não se ligar a sigla ao cargo, você está fora.)

14. Não se contente com o primeiro rascunho.

Reescreva. Revise. Acima de tudo, corte. Quando se tratar de um trabalho importante, faça uma pausa, entre o primeiro e o segundo rascunho, de pelo menos uma noite.

Revise seu currículo e continue.Volte a ele com um olhar crítico e imparcial.

15. Peça a um colega para revisar seu currículo.

E dê total liberdade para comentários e sugestões. Isso é muito importante.

E uma última dica: a palavra idéia, no novo acordo ortográfico, perdeu o acento agudo, passando a ser grafada “ideia”. Então não é erro de digitação, OK? (Elimina-se o acento agudo das paroxítonas com ditongos abertos ÉI e ÓI. Exemplos: assembleia, asteroide, boia, heroico, ideia, geleia, paranoico.)

Vamos ver um modelo de currículo pronto? Então, clique aqui!



Responder