Para utilizar esta página é necessário ter o JavaScript ativado. Sobre as mudanças no RioVagas | RioVagas

Sobre as mudanças no RioVagas

Prezados Usuários,

Temos recebido alguns questionamentos sobre as mudanças recentemente implementadas. Entendemos ser relevante fazer alguns esclarecimentos, pois existem alguns fatos sobrepostos que estão trazendo uma percepção equivocada para alguns usuários.

Fato 1: mudamos pela certeza de que estamos fazendo o melhor para os candidatos e recrutadores.
A todo momento recebíamos solicitações de maior controle das vagas, de maior rigor quanto aos recrutadores, etc.
Mas também tínhamos reclamações de recrutadores quanto a MUITOS abusos de candidatos, prática de spam, envio de currículos sem qualquer relação com a vaga atrapalhando processos seletivos, etc.
O que fizemos? Atendemos a essas solicitações.
O RioVagas de hoje é o resultado dos pedidos dos candidatos e recrutadores.
Além disso, também é da nossa necessidade de evitar cópia do nosso conteúdo por outros sites, rastreamento por sites estrangeiros que copiavam os emails exibidos, etc.
Não temos dúvidas que o formato atual é o melhor para os recrutadores e para os candidatos sérios, que respeitam os requisitos solicitados pela vaga.
Temos as melhores tecnologias para disparo de e-mail do mercado e se você está recebendo um e-mail de confirmação de envio do seu currículo, pode ter certeza que o recrutador também recebeu o currículo que você enviou. Nosso sistema é o melhor do mundo e o mesmo que era usado por empresas como IBM, Oracle Marketing Cloud e Salesforce. Tem capacidade de disparo de até 1 milhão de mensagens por hora. (Não usamos nem 5 % disso, em média).

Fato 2: O Brasil vive a maior crise econômica de sua história.
Quem tem cerca de 30 anos de idade e entrou no mercado de trabalho aos 18, ainda não tinha vivenciado uma crise econômica.
Pois é… Elas existem e têm efeitos devastadores e são cíclicas, portanto, esteja sempre preparado pois elas voltarão algum dia.
Não vamos discutir sobre política e/ou as razões da crise, mas o fato é que, ela trouxe o maior índice de desemprego das últimas décadas.
Quem tem dúvida, veja o link abaixo.
Tem menos emprego e mais gente qualificada que perdeu o emprego disputando muito menos vagas do que existiam antes.
Desemprego chega a 11,4 milhões de pessoas no país e é recorde, diz IBGE

Fato 3: O Rio de Janeiro está sofrendo mais do que outros Estados.
O Rio vinha em uma rota de crescimento acima da média nacional e de repente, uma sucessão de problemas:
– Lava-Jato: Escândalo de corrupção na Petrobras paralisa a maior contratante do País e dezenas de empreiteiras que atuavam no Rio demitem milhares de empregados;
– Queda do preço internacional do petróleo impacta toda indústria do petróleo e interrompe ciclo de investimentos, fechando milhares de vagas em engenharia, construção civil e apoio à obras;
– Como efeito da redução do preço do petróleo, Estado do Rio recebe menos royalties e vai praticamente à falência (era um dos maiores contratantes de mão-de-obra terceirizada e milhares de vagas foram extintas, pois as empresas contratadas não tem mais condição de pagar seus funcionários sem receber do Governo);
– Ciclo de contratações para as Olimpíadas estão chegando ao fim. Quem tinha que contratar para as obras ou prestação de serviços, como hotéis e restaurantes, já completou suas vagas. O fim das obras e de várias atividades ligadas às Olimpíadas vai aumentar ainda o desemprego nos próximos meses.
Veja a matéria abaixo, publicado pelo jornal O Globo:
Desemprego no Rio teve maior alta entre grandes metrópoles

Fato 4: Existia a impressão de que existiam mais vagas disponíveis pois dezenas de sites, alguns bem conhecidos, copiavam nosso conteúdo sem autorização. Agora, para achar as vagas originais, você tem que obrigatoriamente acessar o RioVagas. Muitas vezes você se candidatava a uma vaga vista em outro site, mas originalmente ela tinha sido publicada pelo RioVagas.

Mas o que queremos dizer com isso tudo?

Resumindo, algumas pessoas tem reclamado que não estão mais recebendo contatos depois das mudanças no RioVagas. No nosso entendimento, não é esse o motivo.

Está muito mais difícil conseguir emprego no Rio de Janeiro, essa é a verdadeira razão.

Quem está se colocando é quem tem mais qualificação e aceita ganhar menos. Mais oferta de mão-de-obra, com menos vagas. Quem se recoloca mais fácil é quem está mais preparado. É a famosa “Lei da Oferta e da Procura”, muito conhecida na Economia.

E o que você pode fazer em relação a isso?

– Se candidatar apenas à vagas para os quais atenda a todos os requisitos solicitados. Isso diminui a ansiedade e a frustração. Quem você conhece que conseguiu um emprego que exigia uma boa qualificação e que a pessoa estava despreparada para a função? Ninguém ou quase ninguém, não é mesmo?
– Caprichar no seu currículo, evitar erros de digitação e ortografia, e etc.
– Usar o tempo de espera para se qualificar, mesmo que à distância, em cursos gratuitos, fóruns, e etc.
– Tentar se candidatar a empregos menos qualificados do que você está procurando. É melhor procurar emprego empregado. Suas chances aumentam dentro e fora da empresa.
– Procure usar um computador para redigir seu currículo e e-mails de apresentação. Procurar emprego por celular pode ser prático, mas não é o mais eficiente, em muitos casos.

Para encerrar, estamos atentos a tudo que possa tornar a experiência de candidatos e recrutadores melhor e mais eficiente.

Vamos sempre ouvir os dois lados e tentar encontrar a melhor solução para ambos. Por isso, não vamos voltar atrás, motivo pelo qual não adianta ficar tentando nos sensibilizar para voltar a divulgar e-mails dos recrutadores.

Se tiverem outras sugestões para melhorarmos, estamos prontos a ouvir e avaliar.

RioVagas: emprego no Rio é aqui!